5.jul.2015

Me parece bem natural que um país quase inteiramente coberto por montanhas tenha muitas rodovias maravilhosas, então não me surpreendi quando vi que a Geórgia tem pelo menos 3 estradas consideradas atrações turísticas.

O que me surpreendeu mesmo foi ter encontrado, em uma cidadezinha sonolenta no final de uma delas, o melhor hotel onde já me hospedei e que, para mim, deveria ser incluído nos guias como a continuação da baita experiência que é passear pela fantástica e histórica Rodovia Militar Georgiana.

Poster antigo da Rodovia Militar Georgiana

Poster antigo da Rodovia Militar Georgiana

(mais…)

leia mais

28.jun.2015

Depois de uma estreia maravilhosa (com nota média de 9,2 na opinião dos alunos!), chegou a hora de repetir a dose do curso Também Quero Viajar, agora em edição revista e ampliada.

Esta segunda turma vai acontecer de novo em Porto Alegre, no dia 11 de julho, um sábado.

Tambem Quero Viajar - POA

Para quem não sabe, o Também Quero Viajar é o curso onde eu ensino o meu jeito de montar viagens, com lições aprendidas nos meus quase 20 anos errando e me ferrando pelo mundo. Saiba mais neste link. (mais…)

leia mais

26.jun.2015

Este guia é baseado em duas viagens bem diferentes que fiz ao Irã.

A primeira delas (outubro-novembro/2013, duração: 29 dias), foi feita na companhia da minha mulher, com um carro alugado, parando em hotéis de nível médio e preços idem.

A segunda viagem (maio-junho/2015, duração: 18 dias), pode ser dividida nas duas partes descritas logo aqui embaixo da foto.

Rosas

Na primeira parte eu estava no Expresso Persa Rota da Seda, um tour classe A que rendeu poucas dicas práticas mas foi compensado por informações sobre hotéis de luxo.

Já na segunda parte, fiquei sozinho na cidade mais cara do país (Teerã) por 10 dias, hospedado num hotel de uma estrela e vivendo com orçamento apertado, extraindo todas as dicas que conseguia dos meus amigos iranianos.

Duas viagens, 3 estilos: classe média independente, tour classudo e mochileiro ferrado contando dólares. Precisei de um ano e meio para fazer isso, mas acho que valeu a pena, porque me parece que o guia ficou bem completinho.

Eu acho. (mais…)

leia mais

13.abr.2015

Hoje este blog dá início a mais uma daquelas infindáveis séries de posts sobre um determinado assunto que agrada a este blogueiro.

Desta vez o tema é dinheiro. Ou melhor: as histórias e curiosidades por trás das moedas ao redor do mundo, sejam elas atuais ou do passado.

O nome da série? Mânei. Assim bem simplinho e metido a engraçadinho mesmo.

Rial iraniano

Gabriel Prehn Britto (CC BY-NC-SA 4.0)

Para o pontapé inicial, escolhi a moeda que mais ocupa espaço na minha cabeça neste momento – depois do maldito dólar valorizadão: o rial iraniano. (mais…)

leia mais

6.abr.2015

Uma das perguntas que eu mais escuto dos meus amigos, quando estamos conversando sobre férias, é:

“Como você consegue montar as suas viagens?”

Pois bem.

Depois de tanto me martelarem com essa questão, eu resolvi organizar os meus métodos e ensinar tudo que aprendi não apenas aos meus amigos, mas a todos os apaixonados pelo mundo que quiserem aprender a sair por aí.

Assim nasceu o curso Também Quero Viajar.

Também Quero Viajar

Até fiz um vídeo para explicar a proposta de forma mais prática – e para você poder rir um pouco da minha cara.

Assista aí. (mais…)

leia mais

30.mar.2015

Antes de começar a ler este post, pare tudo que você estiver fazendo, busque um café, relaxe e preste bem atenção.

Por quê?

Porque este post é sobre uma ilha dentro de um lago, dentro de um vulcão, dentro de um lago, dentro de um vulcão em uma ilha. E também sobre uma ilha dentro de um lago, dentro de uma ilha, dentro de um lago em uma ilha.

joanneQEscober (CC BY 2.0)

joanneQEscober (CC BY 2.0)

Vá lá buscar o café que eu espero. (mais…)

leia mais

20.mar.2015

Não é fácil ver um eclipse solar bacana. Estes bichos não acontecem todos os dias e, quando acontecem, são vistos apenas em faixas pequenas do planeta.

Jingyi Li (CC BY-NC-SA 2.0)

Jingyi Li (CC BY-NC-SA 2.0)

Muito mais possível e divertido é ir atrás deles. (mais…)

leia mais

16.mar.2015

Filmes são uma das formas mais práticas e interessantes de se pesquisar sobre um destino de viagem.

Não, eles não vêm com dicas práticas (ao menos eu nunca vi um assim), mas são perfeitos para você conhecer curiosidades, culturas, climas e tal. E não importa em qual buraco do mundo você vá se enfiar, aposto que existe ao menos uma obra cinematográfica ambientada lá ou contando alguma história local.

Detalhe do poster de Os Gritos do Silêncio

Detalhe do poster de Os Gritos do Silêncio

Entre todos os que vi antes de viajar, nenhum se compara em qualidade e impacto a Os Gritos do Silêncio, indicadíssimo por este blogueiro a qualquer pessoa que esteja mirando sua atenção para o Camboja. (mais…)

leia mais

7.mar.2015

Eu sempre digo que o roteiro pode mudar durante uma viagem e que é melhor não se apegar totalmente a ele. Mas eu nunca havia vivido a situação de mudar o roteiro (e bastante) pouquíssimos dias antes de começar uma aventura.

Então veio pilar de Katskhi, na Geórgia.

Gabriel Prehn Britto – CC BY-NC-SA 2.0

Faltando menos de uma semana para embarcar, quando tudo já estava agendado (passagens aéreas internas e carro alugado), este lugar bizarro apareceu na minha frente, em um post de um jornal inglês.

“Por mil malas perdidas! Como eu não vi isso antes?”, pensei. E depois de verificar calmamente o guia, me respondi: eu não vi antes porque o pilar de Katskhi não está no Lonely Planet.

E se não estava no Lonely Planet, eu precisava ir até lá. (mais…)

leia mais

23.fev.2015

Depois de algumas horas na estrada, olhei para trás e vi as montanhas do Cáucaso lá longe no horizonte.

Eu havia acordado no meio delas, naquele dia, e como a viagem pela Geórgia não estava nem na metade e ainda tinha muito para ser visto no país, engoli a vontade de ficar mais tempo na região e segui em frente, me achando um desbravador forte e determinado.

Gabriel Prehn Britto – CC BY-NC-SA 2.0

Mas quando enxerguei os topos nevados naquela distância e atrás de mim, me dei conta de que realmente tinha ido embora e que não havia mais volta. Então a tristeza bateu forte.

A lindíssima Svaneti, a área do Caucaso grudada na Abecásia, tinha me conquistado de verdade. (mais…)

leia mais